sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Aproveite o inverno para saborear sopas mais nutritivas

Hoje dia 31 de agosto é o Dia do Nutricionista. Seguindo algumas dicas de quem entende do assunto podemos deixar mais nutritivos um dos pratos preferidos pela maioria das pessoas no inverno, a sopa, que é muito mais do que uma refeição quentinha e dá aquela sensação de conforto e bem-estar. Se preparada corretamente, ela fornece boa parte dos nutrientes que o nosso corpo precisa.
Aproveite algumas dicas que irão deixar a sua sopa ainda mais nutritiva. Ela pode continuar saborosa com ingredientes mais saudáveis. Confira a seguir algumas dicas sugeridas por duas nutricionistas e uma chef para aumentar o valor nutricional da sua sopa:
Temperos prontos
Eles podem até ser práticos, mas têm pouquíssimos nutrientes. Segundo explica a nutricionista Daniela Cyrulin, de São Paulo, "tanto os caldos quanto os temperos prontos têm grande quantidade de sódio e gordura, podendo agravar doenças cardiovasculares". Portanto, vale a pena gastar alguns minutinhos a mais no preparo e no cozimento para que a sopa fique realmente nutritiva. Use temperos frescos como salsa, coentro e cebolinha, que além de darem sabor à sopa farão com que elas se tornem mais nutritivas.
Valor nutricional dos ingredientes
"É inevitável que alguns vegetais percam parte de seu valor nutricional ao serem adicionados à água fervente da sopa", conta Amanda Epifanio Pereira, nutricionista do Citen (Centro Integrado de Terapia Nutricional). Por isso, é fundamental não desprezar o caldo, que concentra boa parte dos nutrientes.
Outra dica que a nutricionista sugere é evitar preparar sopas cremosas à base de leite com carne. Isso porque o cálcio presente no leite interage com o ferro da carne, formando um complexo que o corpo humano não consegue absorver.
Sopas para bebês
Sopas são pratos típicos da dieta do bebê. Por isso, evite bater tudo no liquidificador, fazendo com que os ingredientes percam parte de seus nutrientes. A chef de cozinha e professora de gastronomia Cristine Maccarone sugere outro método: "O ideal é que a sopa seja passada pela peneira, pois ela continuará contendo pedaços sólidos e ainda estimulará a mastigação da criança".
Modo de preparo
De acordo com a chef Cristine, bater alimentos no liquidificador faz com que eles percam parte de suas fibras. A porcentagem não é alarmante, mas, afinal, não custa nada evitar.
Por outro lado, não adianta sair picando tudo de qualquer jeito. A nutricionista Amanda alerta que quanto menor o tamanho dos alimentos, mais nutrientes eles perdem para o caldo. Assim, ela sugere que os legumes sejam cortados em pedaços maiores para poupar alguns nutrientes e as carnes em pedaços pequenos para melhorar a qualidade do caldo da sopa.
Congelamento
Há pessoas que preparam sopas em larga escala e aproveitam para congelar o que não consumiram no mesmo dia. O problema é que as etapas de congelamento e descongelamento da comida fazem com que ela vá perdendo seus nutrientes a cada novo processo.
Ainda assim, convenhamos, poucas pessoas têm tempo e disposição para preparar um novo prato todos os dias. É aí que vem a boa notícia. "Mesmo após o descongelamento, o valor nutricional da sopa permanece superior aos dos pratos prontos congelados, sopas industrializadas e fast-food", explica a nutricionista Amanda Epifanio.

Uma dica para evitar uma perda significativa do valor nutricional da sopa é congelar o que sobrou em pequenos potes que contenham o equivalente ao que você consome em uma refeição. Assim, o que for esquentado será utilizado de uma só vez.
Ingredientes mais que bem-vindos

Sopas bastante nutritivas devem conter itens de todos os grupos alimentares: proteínas magras, como peito de frango e peixe; carboidratos, como batata e macarrão; verduras e legumes, como lentilha e ervilha; grãos integrais e cereais, como arroz e aveia; e temperos, como salsão, para diminuir a inclusão de sal.
Sopa milagrosa
Algumas sopas têm ingredientes que contribuem no combate a gripes e resfriados, conta Daniela. Uma delas é a canja de galinha. Isso porque, ao ser aquecida, a carne de galinha libera um aminoácido parecido com o princípio ativo usado em xaropes expectorantes, ajudando na fluidificação e na eliminação do catarro.
É bom evitar
Alguns alimentos podem até dar um toque saboroso à sopa, mas, se possível, devem ser evitados. Dois deles são queijos e creme de leite. "Eles adicionam gorduras saturadas, que são maléficas, diminuem o valor nutricional do prato e ainda aumentam as suas calorias", alerta Amanda.
As sopas por serem saborosas e nutritivas, são uma ótima opção não só para o inverno, mas também no verão. Conforme os ingredientes escolhidos, elas podem ser light ou mais substancial, conforme a preferência de cada um.
 
 
Fonte: Site minhavida -  publicado em 01/07/2011



6º Festival CineMúsica em Conservatória

Se você gosta de seresta e está procurando um lugar romântico para ir com o seu amor no próximo feriado de 7 de setembro, não deixe de conhecer Conservatória, distrito da cidade de Valença, no estado do Rio de Janeiro, distante 150 Km da sua capital e 417 km da capital de São Paulo. A cidade é minúscula, mas o que não falta por lá são atrações. Com seu casario colonial preservado e seus museus musicais nas principais ruas do centro - Dr Luís de Almeida Pinto e Oswaldo Fonseca - a cidade é abençoada pelo santo casamenteiro, Santo Antonio, do alto da sua imponente igreja do final do século XVIII.
O charme principal de Conservatória é a seresta. A cantoria começa por volta das 20 horas das sextas-feiras e se repete aos sábados. Seresteiros cariocas e turistas de todas as partes se reúnem no Museu da Seresta para afinar o repertório e de lá partem por suas ruas de pé-de-moleque, numa tradição que já dura mais de 60 anos. Vem do século XIX, e era cultivada pelo Sr. Emerito, que reunia em sua casa seresteiros que lá iam afinar os instrumentos e ensaiar músicas, para depois saírem pelas ruas cantando às janelas das residências. É na casa do Sr. Emerito que hoje funciona o Museu da Seresta.
Conservatória abriga três museus que preservam um pouco da memória musical brasileira:
Museu da Seresta, com fotos e textos sobre esta nossa tradição, é propriedade dos mais antigos seresteiros da cidade, os irmãos Dr. José Borges e Professor Jouber.
Endereço: Rua Oswaldo Fonseca, 99.
Museu de Silvio Caldas, Nelson Gonçalves, Gilberto Alves e Guilherme de Brito com acervos dos cantores e do compositor - fotos, prêmios, objetos pessoais.
Endereço: Rua Dr. Luís de Almeida Pinto, 40. 

Museu de Vicente Celestino e Gilda de Abreu, com fotos, discos, objetos pessoais e vestimentas usadas em filmes e apresentações teatrais pelo cantor e ator e sua esposa, cantora lírica. Endereço: Rua Oswaldo Fonseca, 63.
Mas a Cidade da Seresta, como é conhecida Conservatória, vai ser transformar na Cidade do Cinema, no próximo feriado de 7 de setembro. É uma ótima oportunidade para aqueles que não conhecem a cidade, irem visitá-la. O encontro do cinema com a música em um grande cenário se dará com o CineMúsica, evento que contará com a participação e a experiência gastronômica do Senac, que dará um sabor especial ao 6º Festival CineMúsica de Conservatória, que acontecerá nos dias 6 a 9 de setembro de 2012. Durante os quatro dias do 6º Festival, a população, os cinéfilos e os visitantes de Conservatória poderão conferir o gosto do Sabor CineMúsica, evento gastronômico que integra a estrutura do CineMúsica.
O Festival fortalece as tradições musicais da cidade e celebra os cinemas de rua, muito bem representados pelo Cine Centímetro, réplica do saudoso Metro Tijuca, que foi uma das principais salas de exibição de filmes de 1940 a 1970.
O Cine Centímetro, de Conservatória, é a resposta às emoções vividas pelo jovem Ivo Raposo. E transformou-se também em um autêntico museu vivo da exibição tradicional do século XX. Cenário esse que agora é compartilhado com o público, como um símbolo de Conservatória, do Cinema e do Festival CineMúsica. Representa um resgate do que de melhor o passado pode oferecer - e um estímulo à continuidade das boas tradições e dos bons sentimentos pelos anos afora.
Segundo Ivo Raposo Jr., Presidente do Festival, “O CineMúsica é, sem dúvida um festival de cinema diferenciado dos demais, sendo o único festival de cinema do País dedicado ao universo do som e com associação da música ao cinema e ainda, com a presença do Cine Centímetro - um patrimônio comprometido com a memória do cinema". Ivo Raposo, afirma que a edição 2012 do evento vai se voltar para o universo da Música Instrumental Brasileira (MIB). Dando continuidade a uma aproximação às diferentes tradições da música brasileira, pela primeira vez o Festival não enfocará mais diretamente um gênero ou formato, mas sim uma linguagem musical em suas diferentes ramificações. O festival terá como principal homenageado Wagner Tiso, que receberá o troféu Personalidade Sonora e ainda fará uma apresentação em praça pública na sexta-feira, 7 de setembro.

O Festival é promovido pela Associação Casa da Cultura de Conservatória, instituição presidida por Servio Consentino, que destaca: “Sempre acreditamos, eu e a equipe, no acerto de dotar Conservatória e a região circunvizinha de um evento de grande porte. Escolhemos o cinema, por seu traço agregador e mobilizador, e não esquecemos a música, razão de ser da cidade e uma das mais belas tradições brasileiras.”

Mais informações no site: www.festivalcinemusica.com.br
 
 

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Congelamento de ervas para temperos

Ter uma pequena horta em casa onde se possa cultivar os temperos fresquinhos não é impossível, mas difícil para a maioria das pessoas hoje em dia, já que grande parte delas moram em apartamentos ou não têm tempo para cuidarem dela.
Os temperos dão um sabor especial à comida, e às vezes não usamos todo aquele ramo de ervas fresquinhas, que compramos para determinadas receitas. Até então, eu as congelava em potes de vidro, mas elas escureciam e após o descongelamento elas ficavam feias e murchas.
Aprendí que congelando dessa forma elas não escurecem não perdem sabor e nem o aroma, podendo ser utilizadas em qualquer prato.

Veja a seguir o passo a passo.

Passos para Congelamento das ervas em azeite ou manteiga sem sal (derretida)

1.Escolher ervas frescas, de preferência do mercado ou o seu próprio jardim.
2.Se quiser você pode picá-las bem, ou deixá-las em ramos e folhas maiores. Na foto, as ervas foram finamente picadas.
3.Colocar em bandejas de cubos de gelo (cerca de 2/3 cheio de ervas).
4.Você pode misturar as ervas (sálvia, tomilho, alecrim).
5.Colocar azeite extra-virgem de oliva ou manteiga derretida sem sal sobre as ervas.
6.Cobrir com filme plástico e congelar.
7.Remover os cubos congelados e armazenar em recipientes ou sacos pequenos de congelamento.
8.Não esqueça de etiquetar cada embalagem ou o saco com o tipo de erva (e óleo) dentro!
9. Usar em assados, batatas cozidas, etc.
Recebí essa dica da minha amiga Jane, eu logo experimentei. Adorei e resolvi compartilhar com vocês. Espero que gostem.


domingo, 26 de agosto de 2012

As cores da Primavera

Em uma matéria sobre as novas tendências para a primavera/verão, a consultora de moda dizia que as cores vibrantes da próxima estação só "ficavam bem" em pessoas jovens. Daí pensei, mais uma "ditadura da moda". Lembrei-me então, de um fato acontecido comigo em certa ocasião. Eu estava usando uma mini-saia, que ficava a uns 3 dedos acima do joelho, pois tratava-se de uma roupa para ir ao trabalho. Apesar de eu ser jovem, acabara de me tornar mãe (não faz tanto tempo assim...rs,rs,rs), acreditem. Uma colega de trabalho fez o seguinte comentário: "Eu não consigo usar mini-saia e acho que "ela" não "fica bem" para "mulheres casadas", principalmente depois que elas têm filhos..." Seria um comentário "inocente", um venenozinho feminino, inveja ou retratava a personalidade de alguém que não conseguia fazer as coisas por temer o que os outros iriam pensar... Até hoje não descobri.
Penso que a moda foi inventada para retratar uma época, e o que vamos usar tem mais a ver com a nossa personalidade e preferências. Foi criada também para nos deixar mais bonitas, e beleza é muito mais um estado de espírito do que uma simples "embalagem". Acho que as pessoas são livres para fazerem o que quiserem, vestirem o que mais gostam, usarem as cores que exprimem o que lhes vai na alma... É claro que é preciso ter bom senso quanto ao guardarroupa de trabalho, disso todos sabem. Mas dizer que isto ou aquilo "não cai bem" fora do ambiente formal, é uma ditadura, da qual devemos escapar. Quem vai me dizer o que "cai bem" é o espelho e também o "simancol". Quanto à idade, não acho que seja realmente um impedimento para alguém usar o que gosta e lhe fica bem. Já que atualmente as mulheres estão se cuidando mais, e mesmo aquelas que passaram dos 40 continuam com muita vitalidade e alegria de viver, em nada lembrando as vovós do século passado. Dizer que as mulheres devem se vestir de "determinada" forma é voltar aos velhos tempos, não acham?
As cores vibrantes da primavera/verão, não só rejuvesnecem como deixam as mulheres mais bonitas. É sempre bom estar na moda, principalmente quando as tendências estão ao nosso favor, e nada mais feminino do que as cores desta estação. A coleção 2012 traz muitas cores, estampas e texturas, o que com certeza irá agradar a todas nós mulheres, que queremos estar bonitas principalmente para nós mesmas... aliás, isso é o que mais importa. E se você estiver em dúvida, olhe-se no espelho e veja se gosta do resultado. No máximo, pergunte ao seu amor se você está bonita, com certeza ele pode até não entender de moda, mas entende de mulher bonita. 
O que vale, mais uma vez é o tal do bom senso na hora de combinar os acessórios e as peças do vestuário. Se a pessoa misturar diversas cores que "não combinam", pode cair no exagero, e isso não é bom em nenhuma produção. O objetivo de toda mulher ao vestir-se é ficar mais bonita, e não parecer uma vitrine, mostrando de uma só vez todas as tendências de cores, não é?
Pesquisando um pouco e olhando nas vitrines a forma correta e harmoniosa de usar as cores da estação, toda mulher ficará liiinda!
Aproveitem, afinal as cores foram criadas para nos deixar mais bonitas! Em uma das minhas últimas postagens falei que " Envelhecer é inevitável, mas ser velho é opcional", lembram-se?
Bisous!
 
 
 

sábado, 25 de agosto de 2012

Cerveja, a preferida do Happy Hour

Não me considero uma conhecedora de cerveja, bebo pouquíssimo e só em ocasiões especiais. Gosto de bebidas suaves e de um bom vinho, principalmente se for servido com uma refeição saborosa. Mas mesmo sem ser expert no assunto "cerveja", aprecio uma geladinha em algumas ocasiões, na praia ou num encontro com os amigos, principalmente no verão.
Quando o assunto é bebida, a cerveja é preferência nacional entre os brasileiros. O Brasil é um dos dez países que mais consomem cerveja do mundo, com 47 litros/ano por pessoa.
A palavra cerveja é derivada do latim cervēsia, que teve sua origem no gaulês, uma língua celta. Praticamente qualquer açúcar ou alimento que contenha amido pode, naturalmente, sofrer fermentação. Assim, bebidas semelhantes à cerveja foram inventadas de forma independente em diversas sociedades em redor do mundo.
Há mais de 10.000 anos, o homem primitivo conheceu o fenômeno da fermentação e obteve, em pequena escala, as primeiras bebidas alcoólicas. A cerveja é a bebida alcoólica mais antiga do mundo, e sua descoberta é creditada aos sumérios. Segundo a lenda, surgiu com o sopro mágico, uma dádiva da deusa Ninkasi, que transformou uma simples mistura de água e cevada no líquido dourado de sabor agradável. Porém, diversos estudos arqueológicos realizados na região do Nilo Azul, atual Sudão, comprovaram que, cerca de 7000 a.C., os povos locais produziam uma bebida a partir de sorgo que seria semelhante à nossa cerveja. A prova arqueológica mais concreta que temos relativamente à produção de cerveja é proveniente da Mesopotâmia, mais propriamente da Suméria. Foram encontradas inscrições feitas numa pedra, relativas a um cereal que se utilizava em algo similar à produção de cerveja. Há evidências de que a prática da cervejaria originou-se na região da nessa região, que assim como no Egito, a cevada cresce em estado selvagem.
No Egito, a cerveja ganhou status de bebida nacional, até com propriedades curativas, especialmente contra picadas de escorpião. Consta que os egípcios gostavam tanto da bebida que seus mortos eram enterrados com algumas jarras cheias de cerveja. A cervejaria mais antiga que se conhece foi descoberta recentemente por arqueólogos no Egito. Ela data de 5400 anos a.C. e produzia vários tipos de cerveja. A cerveja produzida naquela época era bem diferente da de hoje em dia. Era escura, forte e muitas vezes substituía a água, sujeita a todos os tipos de contaminação, causando diversas doenças à população. Na Antiguidade usava-se para a elaboração da cerveja uma variedade imensa de ingredientes para aromatizar o produto, como folhas de pinheiro, cerejas silvestres e variadas ervas. Para regularizar o processo de fabricação da cerveja, o Duque Guilherme IV da Baviera, decretou em 1516 d.C, a Lei da Pureza. Essa lei, a mais antiga e conhecida do mundo, determina que os ingredientes que podem ser usados na fabricação de cerveja são: cevada, lúpulo e água. A levedura de cerveja ainda não era conhecida e, somente mais tarde foi incluída na lei.
Os pioneiros chineses: As primeiras cervejas surgiram na China durante o Neolítico (aprox. 7000 a.C.). Cinco mil anos depois, por volta de 2000 a.C., dois tipos faziam sucesso entre os chineses: a Kin e a Samshu. Na China, na cidade de Jiahum, foram encontrados vasos de barro de 7.000 anos a.C. que continham restos de uma cerveja feita de arroz, mel, espinheiro e uvas.
Tendo sido uma das primeiras bebidas alcoólicas a serem produzidas pelo ser humano, a cerveja é resultado da fermentação alcoólica preparada de mosto de algum cereal maltado. Dentre os maltes, o de cevada é o mais frequente e largamente usado devido ao seu alto conteúdo de enzimas, mas outros cereais maltados ou não maltados são igualmente usados, inclusive: trigo, arroz, aveia, milho e centeio. A introdução do lúpulo foi relativamente recente na sua composição. Acredita-se que tenha sido introduzido apenas há umas poucas centenas de anos atrás. Usa-se a flor do lúpulo para acrescentar um gosto amargo que equilibra a doçura do malte e possui um efeito antibiótico moderado que favorece a atividade da levedura de cerveja.
É a terceira bebida mais consumida no mundo depois da água e do chá, tendo sido produzida a princípio de forma artesanal pelas mulheres, que também estavam encarregadas de fazer o pão. Especula-se que a cerveja, assim como o vinho, tenha sido descoberta acidentalmente, provavelmente fruto da fermentação não induzida de algum cereal, pois afirma-se que a descoberta da cerveja se deu pouco tempo depois do surgimento do pão. Os sumérios e outros povos teriam percebido que a massa do pão, quando molhada, fermentava, ficando ainda melhor. Assim teria aparecido uma espécie primitiva de cerveja, como "pão líquido". Várias vezes repetido e até melhorado, este processo deu origem a um gênero de cerveja que os sumérios consideravam uma “bebida divina”, a qual era, por vezes, oferecida aos seus deuses. E se até o deuses "gostavam", quem dirá nós os "pobres mortais", não é?
Os textos sumérios revelam-nos também a existência de tabernas, geridas por mulheres, locais de divertimento sobretudo masculino, em que se comia e bebia em convívio, o que poderia ser comparado aos dias atuais com o nosso "Happy Hour". Manuscritos antigos da Babilônia e da Suméria mostram que as mulheres cervejeiras tinham grande prestígio, pois eram consideradas como pessoas com poderes quase divinos.
Na Mesopotâmia, a cerveja era tão importante que os grãos eram cobrados como impostos e ela era usada como forma de pagamento: funcionários mais importantes recebiam mais cervejas como gratificação.

O Código de Hammurabi está exposto no Museu do Louvre, em Paris.
O Código de Hammurabi, o sexto rei da Babilônia, exposto atualmente no Museu do Louvre, em Paris, introduziu várias regras relacionadas com a cerveja no seu grande código de leis. Entre essas leis encontrava-se uma que estabelecia uma ração diária de cerveja, ração essa que dependia do estatuto social de cada indivíduo.
 
Os romanos herdaram o conhecimento cervejeiro dos egípcios e, a partir daí, tornaram-se os responsáveis pela sua difusão, levando a bebida aos novos territórios conquistados. Com a queda do Império Romano, a Igreja tomou posse das cervejarias. Em suas peregrinações pela Europa, os monges católicos fundaram instalações capazes de produzir cerveja em grande escala. Apesar de ser considerada menos importante que o vinho, a cerveja evoluiu durante o período grego e romano. Entretanto, em 500 a.C. e no período subseqüente, gregos e romanos deram preferência ao vinho, a bebida dos deuses, tutelada por Baco. A cerveja passou então a ser a bebida das classes menos favorecidas, muito apreciada em regiões sob domínio romano, principalmente pelos germanos e gauleses. E foram os gauleses os primeiros a fabricá-la com malte, isto é, cevada germinada.
A história da cerveja contém muita informação, mas não muito consenso. A cerveja tal como conhecemos hoje, com o aroma e o sabor caracteristicamente amargo do lúpulo, segundo os saxões, foi obra do lendário rei Gambrinus, da região de Flanders, na Holanda. Os saxões afirmam que esse rei, amante da cerveja, aí pelo século XII, foi quem pela primeira vez colocou o lúpulo na cerveja, dando o troque definitivo à lendária bebida que acompanha a humanidade desde os seus primórdios. Entretanto, essa história não é aceita por todos.
Para os Tchecos, a adição do lúpulo aconteceu pela primeira vez em seu país, já que esta planta é natural da Tchecoslováquia. E o sucesso do lúpulo na cerveja foi tão grande que o rei Wenceslau, da Bohemia, instituiu a pena de morte para quem contrabandeasse mudas de lúpulo para fora do reino.
Sendo este um assunto que rende muitas e contraditórias informações, resolví publicá-lo em duas partes para melhor entendimento. Portanto, na postagem seguinte continua a história da cerveja a partir da Idade Média até os dias atuais.  
Au Revoir!

 
 

A história da cerveja desde a Idade Média


Na Idade Média, vários mosteiros fabricavam cerveja, empregando diversas ervas para aromatizá-la, como mírica, rosmarinho, louro, sálvia, gengibre e o lúpulo, utilizado até hoje e introduzido no processo entre os anos 700 e 800, mas uso de lúpulo para dar o gosto amargo e preservar é atribuída aos monges do Mosteiro de San Gallo, na Suíça. Houve um tempo em que o papel da levedura na fermentação era desconhecido. A maior parte das cervejas, até tempos relativamente recentes, eram do tipo que agora chamamos de ales. As lagers foram descobertas por acidente no século XVI, quando a cerveja era estocada em frias cavernas por longos períodos; desde então elas ultrapassaram largamente as cervejas tipo ale em volume.
.A história da cerveja no Brasil teve início na época do Brasil colonial. A bebida demorou a chegar à colônia pois os portugueses temiam perder o filão da venda de seus vinhos. A chegada da cerveja ao Brasil ocorreu em 1808, trazida pela família real portuguesa de mudança para o território. Portanto, o hábito de beber cerveja começou nos tempos de D. João VI, época em que a bebida era importada da Europa e, até o final do século passado, o Brasil ainda importava a cerveja. Até o 2 º Reinado, em (1840), os anúncios comerciais nos jornais referiam-se, exclusivamente, à venda de cerveja, nunca à produção. Foi só a partir da década seguinte que as famílias de imigrantes começaram a usar escravos e também a empregar trabalhadores livres para produzir a bebida e vendê-la ao comércio local. Nessa época a cerveja era vendida no balcão das cervejarias e entregue ao comércio das redondezas do Rio de Janeiro em carroças. As cervejarias também promoviam festas para divulgação e venda da bebida, denominada "Cerveja Marca Barbante", nome dado por sua fabricação rudimentar, e por conter um grau tão alto de fermentação.
Só a partir da metade do século XIX, a fabricação de cerveja brasileira começa a tomar vulto com o aparecimento de diversas fábricas. E enquanto na Antiguidade o que caracterizava o processo de fabricação era a experiência e a tradição, a partir do século XIX, o fabrico da cerveja é dominado pela ciência e pela técnica. Até o evento de Louis Pasteur, a fermentação do mosto era natural o que, normalmente, trazia prejuízos aos fabricantes. O notável cientista francês convenceu os produtores a utilizarem culturas selecionadas de leveduras para fermentação do mosto, para manter uma padronização na qualidade da cerveja e impedir a formação de fermentação acética.
Pasteur descobriu que eram os microorganismos os responsáveis pela deterioração do mosto e que poderiam estar no ar, na água e nos aparelhos, sendo estranhos ao processo. Graças a esse princípio fundamental, limpeza e higiene tornaram-se os mais altos mandamentos da cervejaria. O nome de Louis Pasteur é lembrado através do termo "pasteurização", método pelo qual os microorganismos são inativados através do calor.
Atualmente são tantas as cervejarias, que produzem os mais diversos tipos da bebida, com a intenção de agradar a todos, que fica até difícil escolher. Não há dúvida de que a cerveja continua sendo a bebida preferida pela maioria das pessoas, não só no Brasil, mas no mundo inteiro. Porém o costume de consumí-la gelada é um hábito dos brasileiros, pois em várias partes do mundo ela é consumida ao natural, talvez devido ao clima frio da maioria desses países.
Na Alemanha consome-se 117 litros/ano por pessoa. O documento mais antigo sobre a fabricação de cerveja em solo alemão data de 800 a.C. e traz a palavra latina “bibere” (beber). Daí, ela tornou-se “bier” (cerveja em alemão). A Repúplica Tcheca é o país onde as pessoas mais bebem cerveja! Cada tcheco consome, em média, 158 litros de cerveja por ano (quase meio litro por dia). Sem contar os belgas, que têm muito orgulho da sua rica cultura em cervejas, com mais de 1.500 tipos produzidos. E cada um é servido em um copo específico, já que isso influencia o sabor da bebida! Berço da Pilsen, lá a cerveja é símbolo nacional e uma das maiores atrações turísticas do país. Alguns tchecos são tão apaixonados pela bebida que fazem questão de incluí-la em todas as refeições - incluindo o café da manhã. Vá gostar assim de cerveja!
Há quem diga que cerveja "não combina" com comida, mas segundo especialistas é um engano, pois as leveduras que, na cerveja, transformam os açúcares em álcool, também estão presentes no pão, nos queijos, picles e vinagre. Se quiserem aprender algumas receitas que utilisem a cerveja, bem como a harmonização com os pratos, isto é, a combinação certa, aconselho a entrarem no site da Baden Baden e baixarem as receitas exclusivas criadas pela chef Carolina Vitória. Entre as receitas estão o Medalhão ao molho Baden Baden Celebration inverno. Para quem conhece e gosta de cerveja... E quando estiverem em Campos do Jordão (SP), não deixem de fazer visitinha à fábrica, que foi criada em 1999. Garanto que vale a pena, eu pude conferir de perto a fabricação dessa cerveja, que é feita por 23 técnicos especializados e produzem 11 variedades de cerveja que são verdadeiras iguarias. Além de conhecer a fabricação, o visitante pode ainda degustá-la geladinha e comprar todos os sabores da cerveja, além de diversos acessórios e souvenires na loja da fábrica. E ainda experimentar os chopes Baden Baden Cristal e Baden Baden Boc. O agendamento de visitas para o Baden Tour será realizado somente pelo telefone (12) 3664-2004.
Em 27 de outubro de 1836, saiu a primeira notícia sobre a fabricação de cerveja no Brasil em um anúncio publicado no Jornal do Commercio, no Rio de Janeiro. Antes do surgimento da cerveja tipo Pilsen, lá em 1839, as cervejas eram escuras e turvas. Não é à toa que ela é chamada de "ouro líquido"! Em 1853, em Petrópolis, Rio de Janeiro, a Bohemia Pilsen foi produzida pela primeira vez, pelo colono alemão Henrique Kremer. Com aroma e sabor levemente frutados, sua receita permanece a mesma até hoje! Produzida com malte 100% importado e lúpulo tcheco, a versão Pilsen é clara, leve e muito refrescante. É a minha cerveja preferida. E lembre-se de que o copo é importante! E o da cerveja Pilsen tem a boca mais estreita para reter o aroma, preservando a espuma por mais tempo.
E se você acha que cerveja também não combina com o inverno, está muito enganado, principalmente as escuras e mais encorpadas, como a Bohemia Escura, que faz uma ótima combinação com chocolate. A Bohemia escura é produzida com maltes torrados especiais importados da Alemanha. Sua espuma é densa e cremosa. Porém, segundo especialistas, ela também pode ser bebida em qualquer época do ano.
Lançada há 15 anos, em 1993, a Kaiser Bock foi a primeira cerveja diferenciada em muito tempo de mercado. Desde que rótulos como a Brahma Porter pararam de ser fabricados, as únicas opções oferecidas pelo mercado brasileiro eram as cervejas “tipo pilsen”, munich e malzbiers. A cultura cervejeira do brasileiro levou a rotular as cervejas bock de “cervejas fortes”, contribuindo para o estereótipo de “cerveja de inverno”. levando-a a uma produção sazonal. Ela está sendo fabricada em uma edição nova pela Heineken desde novembro de 2011, sendo vendida apenas em algumas regiões do país. Se quiser conferir se tem na sua região é só entrar no site da Kaiser. Uma ótima opção para o inverno! Mas, novamente, segundo um especialista ela não é propriamente uma cerveja só para ocasiões sazionais, isto é, para o inverno, podendo ser consumida em qualquer época do ano. Hoje ela tem apenas 6,2%, não muito mais do que as “pilsens”.
Para aqueles que curtem conhecer a fabricação da cerveja, uma boa pedida é irem à região serrana de Teresópolis (RJ), para visitarem a cervejaria Saint Gallen, conhecida pelas cervejas Therezópolis. Além do passeio, a vila germânica anexa possui lojas com diversos produtos artesanais.
Já na cidade imperial de Petrópolis, que fica também na região serrana do Rio de Janeiro, aqueles que gostam de cerveja têm um museu todo especial sobre esse assunto, construído na antiga fábrica da Cervejaria Bohemia, a primeira do Brasil. Fica na Rua Alfredo Pachá 166, Centro - Petrópolis – Rio de Janeiro
Obs: É preciso agendamento, que é feito pelo site. O ingresso inteiro custa R$39,00
 
Algumas curiosidades sobre a cerveja:
Você sabia que o "happy hour" foi criado pelos egípcios? Eles distribuíam cerveja aos homens que erguiam pirâmides para relaxarem após um dia cansativo de trabalho. ‎"Como os antigos egipcios não tinham lúpulo, suas cervejas eram aromatizadas com cardamomo e coentro, o que as tornava encorpadas, saborosas e refrescantes.
Você sabia que, por ter um clima inadequado à produção, o Brasil importa todo o suprimento de lúpulo da Europa e dos Estados Unidos? Foram os monges, na Idade Média, que deram importância ao uso do lúpulo, que ajudava a conservar a cerveja por mais tempo, além de dar o sabor amargo característico.
No século XV, na Inglaterra, a palavra "ale" referia-se a uma bebida produzida sem lúpulo. Ou seja, ale e cerveja eram bebidas distintas. A cerveja propriamente dita (com lúpulo) era importada da Holanda. Nesta época, a Companhia dos Fabricantes de Cerveja de Londres especificou que a ale deveria ser feita apenas com água, malte e levedura. A palavra "ale" passou a referir-se a qualquer cerveja forte a partir do século XVI.

Novidade: foi inventada a Beer Savers, que são tampinhas de silicone feitas para manter a cerveja fresca após abrir, ou para identificar sua garrafa no meio de outras. Você pode comprar pelo site: http://www.likecool.com/Beer_Savers--Other--Home.html
Já que aprendemos um pouco mais sobre a cervejinha nossa de cada dia, e que todos concordam que ela é realmente uma bebida dos "deuses", então, que tal um Happy Hour? Mas lembre-se de que devemos apreciá-la com moderação. Se beber, não dirija. Santé!
Se você quiser saber um pouco mais sobre o assunto, eu indico este livro escrito por Steven D. Hales. O volume reúne vários artigos escritos por diferentes profissionais, incluindo filósofos, produtores de cerveja, mestres cervejeiros e bebedores profissionais.


Fontes consultadas: Sites: Wikipédia, Heineken, Baden Baden e Kaiser e outras cervejas.

 

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Cinema para crianças de todas as idades neste final de semana

Filme: O Circo
Um ótimo programa para a criançada, e por quê não para toda a família, é o Festival Internacional de Cinema Infantil, que está na sua 10ª edição. O FICI começará neste fim de semana, dia 24 de agosto e irá até o dia 2 de setembro, sexta, sábado e domingo. O festival contará ainda com meia entrada para todos. A mostra começa no Rio de Janeiro e Niterói (de 24 de agosto a 2 de setembro), segue para São Paulo, Campinas e Santos (21 a 30 de setembro), Natal (5 a 14 de outubro), Aracaju e Salvador (19 a 28 de outubro) e termina em Brasília e Belo Horizonte (1 a 11 de novembro).
O evento tem como produtora Carla Camurati, que dirige o evento ao lado de Carla Esmeralda. Ela explica: “O sucesso do festival é a prova de que o cinema infantojuvenil é economicamente viável e tem um enorme potencial para crescer ainda mais. Temos um público gigantesco de 20 milhões de crianças e somente 20% deste total vão ao cinema”, “É importante este trabalho de formação de plateia para aumentar esta base. Todos os anos fazemos parcerias com escolas públicas e projetos sociais para levar crianças ao cinema, a maioria pela primeira vez”, completa.
Neste sábado (25) na Cinemark Downtown (RJ) a festa de abertura do 10º Festival Internacional de Cinema Infantil. A festa começa às 10h30 da manhã e os filmes que serão exibidos são:
ZARAFA
TONY 10 - Sessão contada
LOTTE E O SEGREDO DA PEDRA DA LUA
ALFIE, O PEQUENO LOBISOMEM
OPERAÇÃO PRESENTE 3D
O REI LEÃO 3D
Nesta décima edição, o festival apresenta novidades com a estreia de dois novos programas. Um deles é a Sessão Contada, que receberá – durante a projeção de Keshu (Índia, 2009), Tony 10 (Holanda, 2012) e O pequeno detetive e os fantasmas (Croácia, 2011) – um profissional da área artística para ler o filme em português enquanto ele é exibido. Já Conversa no Cinema apresentará filmes recém-estreados seguidos de um papo entre o público e um membro da equipe do filme. Os brasileiros O diário de Tati (Mauro Farias) e 31 minutos (Álvaro Diaz e Pedro Peirano), ambos lançados em 2012, inauguram a programação.
A programação ainda homenageará o cinema indiano exibindo 3 filmes. A 10º FICI comemora os 100 anos de Bollywood. Em 2012, Bollywood, o maior pólo de cinema do mundo comemora 100 anos. São cerca de mil filmes lançados a cada ano na Índia e o Festival Internacional de Cinema homenageia Bollywood com três filmes no programa 3x ÍNDIA. São eles: "O Circo", "Meu Nome é Kalam" e "Keshu". 

Filme: Meu nome é Kalam

Líder no mercado exibidor, a Rede Cinemark comemora 15 anos no Brasil. A rede já representa 30% do mercado brasileiro de cinema e é maior que seus três principais concorrentes juntos, com 464 salas de cinemas em 58 complexos distribuídos por 14 estados e Distrito Federal.
Exclusivo na Rede Cinemark, o festival é o primeiro evento no Brasil dedicado ao cinema infantil e chega à décima edição com novas atrações. Mais informações pelo site: www.fici.com.br ou   www.cinemark.com.br
E lembrem-se essa é uma programação para todas as idades. Nos veremos lá!
Preço: 8 reais para todos
 
 
 

Aproveite a safra e faça um deliciosa Geléia de Morangos

Eu adoro morangos com chantilly, mas também gosto dele em sucos ou em sobremesas. O morango, pode ser usado nas mais variadas receitas, seja em recheios de bolos, pavês, sorvetes, etc. Uso-os também para fazer um ioguete caseiro e uma deliciosa de geléia, que acrescenta mais sabor ao café da manhã. A geléia pode ser feita com açúcar ou adoçante granulado (que pode ir ao fogo). Eu prefiro o adoçante tipo açúcar da União, denominado Fit, e que antes era chamado de light.
E como os meses de agosto, setembro e outubro são os meses onde o morango é abundante, aproveito para fazer as receitas que eu gosto. Nesses meses ocorre a safra da fruta, que além de deliciosa, é nutritiva e vai bem em diversas preparações. Além de ser uma fruta muito bonita, o morango é também muito nutritivo.Algumas propriedades nutricionais do morango:
O morango fornece poucas calorias, 5 morangos (de tamanho médio) fornecem 24 kcal. Quanto às vitaminas, podemos encontrar a vitamina C, que ajuda na cicatrização, atua contra infecções, colabora com absorção de ferro no organismo, entre outras funções.
O potássio também está presente no morango, mineral que exerce papel na atividade dos músculos, atua na transmissão nervosa, na tonicidade muscular, na função renal e na contração da musculatura cardíaca.
Além da vitamina C e do potássio, podemos destacar que na composição do morango encontramos niacina, ferro e fibras.
Veja alguns cuidados na compra e armazenamento da fruta:
Na hora da compra, verifique o estado dos morangos, eles devem estar vermelhos, talos bem verdes, sem manchas ou partes amolecidas. Recomenda-se não guardar os morangos por muito tempo (no máximo três dias). Devem ser conservados na geladeira, sem ser lavados, pois a água favorece o apodrecimento. Procure não guardar os morangos cortados, pois elimina nutrientes, guarde-os sempre inteiros.
Por tratar-se de um fruto rasteiro torna-se necessário uma higienização adequada. Devem ser limpos em água corrente e depois devem ser deixados de molho em uma solução de 1 litro de água com 1 colher (sopa) de hipoclorito de sódio por 30 minutos. O morango é uma fruta muito delicada, por isso deve ser manipulada o mínimo possível.

Geléia de morango
Ingredientes
2 caixas de morangos lavados, higienizados e sem os cabinhos, corte-os em pedaços pequenos (em 5 ou 6 partes)
1 xícara de (chá) de adoçante em pó União Fit, se quiser uma geléia diet, ou se preferir use 250g de açúcar cristal
1 colher de (chá) de suco de limão (5ml)
Modo de fazer
Coloque em uma panela os morangos com o açúcar e o sumo de limão, misture e deixe descansar por umas duas horas. Depois disso leve a mistura ao fogão, sempre em fogo baixo para apurar, até obter um doce cremoso, deixando secar um pouco a água que se forma. Não acrescente nenhuma água, pois o próprio morango solta um caldo ao cozinhar.
Deixe esfriar completamente e guarde em potes de vidro préviamente limpos e esterelizados.
Guarde na geladeira e consuma em até 3 dias, pois esta geléia não contém conservantes. Se fizer com açúcar, a receita dura até 7 dias na geladeira.


 
 

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

O apego traz sofrimento e nos impede de crescer

Há momentos em que precisamos fazer escolhas….e isso nada mais é do que renunciar! Embora não tendo consciência, fazemos isso constantemente e, quase não percebemos. Não há como negar que cada um de nós temos os nossos apegos, mas não podemos nos esquecer de que para evoluirmos temos que deixar certas coisas para trás…temos que virar a página da nossa vida, se quisermos realmente viver novas e melhores experiências.
Em uma das minhas últimas publicações falei da diferença entre amor e apego. E, mais uma vez, volto ao assunto por considerá-lo de grande importância para a nossa felicidade e crescimento espiritual. 
Aprendemos desde de pequenos a buscar o amor nas coisas externas e como sabemos tudo que é externo é passageiro e não depende de nós. Portanto, em algum momento, nos encontraremos com a infelicidade. Pois o apego induz à cegueira... seja o apego ao dinheiro, aos bens materiais, à casa, à família e até mesmo ao amor! Isso porque contraria as nossas necessidades e nos impede de buscarmos as transformações e as mudanças que fazem parte da nossa evolução. Ele nos impede de nos conectarmos com nosso verdadeiro ser e direcionarmos nossa vida por sua sabedoria. Evoluir, portanto, implica necessariamente, em nos libertarmos de toda forma de apego.
Se pensarmos que o dinheiro foi "feito para usar", e deixarmos que ele "circule", isso nos trará a energia da prosperidade, estaremos mudando a princípio uma forma de apego que só nos fará bem.
Quanto aos bens materiais, estes também nos foram "emprestados" para satisfazerem nossas necessidades aquí na Terra.
A família, é o maior "presente" que recebemos, mas o apego a ela também nos traz sofrimentos. Pensemos nos pais que ao verem seus filhos crescerem têm que deixá-los partirem... É claro que se pudessem, esses pais iriam mantê-los sempre por perto, mas nem sempre funciona desta forma. E eles, os filhos, se vão em busca de sonhos e realizações. Não querer aceitar as mudanças só vai trazer sofrimento. Deixá-los partir, também é uma forma de amá-los...
Já os amigos, se forem verdadeiros, podem até permanecerem sempre em nossas vidas, mas também são livres para irem em busca de novas amizades... ou seguem outros caminhos. Amigos vão e veem, portanto, não devemos ter "apegos" e sim estarmos abertos para novas amizades que trarão novidades, e poderão se tornarem "amizades verdadeiras" com o passar do tempo.
Existem ainda outras formas de apego, como o apego a velhas ideias e conceitos, que em nada contribuem para o nosso crescimento. É preciso que estejamos atentos às mudanças que ocorrem no mundo e ao nosso redor, e que estejamos dispostos a aprender coisas novas e a mudarmos de ideia se for preciso, mas sem abrir mão dos nossos valores.
E quanto ao amor, esse é o maior de todos os nossos apegos. Achamos que ao amarmos e sermos amados, teremos a "garantia de felicidade" e durabilidade do relacionamento. Outro grande "engano" que vem do apego, já que amar é deixar livre. Se for amor irá ficar, se o relacionamento terminou por qualquer motivo, a pessoa voltará se "quiser", se o amor for verdadeiro.
Se considerarmos que nada, absolutamente nada é nosso, se considerarmos que quando viemos à terra não trouxemos nada e quando formos embora da terra também não levaremos nada…Se considerarmos que nada é nosso por direito, que tudo o que nos chega às mãos é uma oferta que a vida nos faz, vamos começar a olhar para a vida de outra maneira. Por isso, acho que devemos pensar que "nada" nos pertence, nem as coisas, e muito menos as pessoas. Elas são livres para irem e voltarem se quiserem ou se nos pertencerem realmente, por "direito Divino".
Se mudarmos o modo de nos relacionarmos com as coisas e com as pessoas, "sem apegos", com certeza seremos livres também para fazermos novas escolhas, e com isso, seremos mais felizes.
Nem sempre a vida sai do jeito que queremos, mas se mudarmos o modo de agir diante dos acontecimentos e determinadas situações, estaremos evitando enormes e desnecessários sofrimentos.


 

terça-feira, 21 de agosto de 2012

22 de agosto Dia do Folclore

No dia 22 de agosto, se comemora aquí no Brasil, o Dia do Folclore. A data é lembrada com eventos e festas, além de ser tema de pesquisa nas escolas. O folclore pode ser dividido em lendas e mitos. Muitos deles deram origem à festas populares, que ocorrem pelos quatro cantos do país.
Um grande estudioso do assunto é Luís Câmara Cascudo, segundo ele, para um costume ser considerado folclore é preciso ter origem anônima e deve ser aceito e praticado por um grande número de pessoas. Também precisa resistir ao tempo e ser passado de geração em geração. E a transmissão? É feita de boca em boca. Ao pé do fogo, na beira do fogão, nos encontros sociais, no dia-a-dia, nos quatro cantos do nosso país rico em cultura e beleza.
O que é Folclore - A palavra folclore é de origem inglesa. A termo "folk", em inglês, significa povo, enquanto "lore" significa cultura. Portanto o "folklore" é o saber do povo ou a sabedoria popular. No Brasil, a palavra adaptada tornou-se "folclore".
O folclore brasileiro é um dos mais ricos do mundo. Nele, estão as marcas dos diferentes povos que formaram nossa nação, principalmente o indígena, o africano e o europeu. O folclore, em especial a partir do século 20, serviu de base para a produção da arte culta brasileira. Os exemplos estão presentes em todas as artes. O pintor ítalo-brasileiro Alfredo Volpi fez das bandeiras das festas juninas um elemento freqüente de seus quadros e gravuras. O compositor fluminense Villa-Lobos aproveitou-se de temas do folclore em sua obra musical.
O folclore pode ser definido como um conjunto de mitos e lendas que as pessoas passam de geração para geração. Muitos nascem da pura imaginação das pessoas, principalmente dos moradores das regiões do interior do Brasil.. As lendas são estórias contadas por pessoas e transmitidas oralmente através dos tempos. Misturam fatos reais e históricos com acontecimentos que são frutos da fantasia. As lendas procuraram dar explicação a acontecimentos misteriosos ou sobrenaturais. Os mitos são narrativas que possuem um forte componente simbólico. Como os povos da antiguidade não conseguiam explicar os fenômenos da natureza, através de explicações científicas, criavam mitos com este objetivo: dar sentido as coisas do mundo. Os mitos também serviam como uma forma de passar conhecimentos e alertar as pessoas sobre perigos ou defeitos e qualidades do ser humano. Deuses, heróis e personagens sobrenaturais se misturam com fatos da realidade para dar sentido a vida e ao mundo.
As mais conhecidas lendas, mitos e contos folclóricos do Brasil são:
Boitatá
Representada por uma cobra de fogo que protege as matas e os animais e tem a capacidade de perseguir e matar aqueles que desrespeitam a natureza. Acredita-se que este mito é de origem indígena e que seja um dos primeiros do folclore brasileiro. Foram encontrados relatos do boitatá em cartas do padre jesuíta José de Anchieta, em 1560. Na região nordeste, o boitatá é conhecido como "fogo que corre".
Boto
Acredita-se que a lenda do boto tenha surgido na região amazônica. Ele é representado por um homem jovem, bonito e charmoso que encanta mulheres em bailes e festas. Após a conquista, leva as jovens para a beira de um rio e as engravida. Antes de a madrugada chegar, ele mergulha nas águas do rio para transformar-se em um boto.
Curupira
Assim como o boitatá, o curupira também é um protetor das matas e dos animais silvestres. Representado por um anão de cabelos compridos e com os pés virados para trás. Persegue e mata todos que desrespeitam a natureza. Quando alguém desaparece nas matas, muitos habitantes do interior acreditam que é obra do curupira.
Lobisomem
Este mito aparece em várias regiões do mundo. Diz o mito que um homem foi atacado por um lobo numa noite de lua cheia e não morreu, porém desenvolveu a capacidade de transforma-se em lobo nas noites de lua cheia. Nestas noites, o lobisomem ataca todos aqueles que encontra pela frente. Somente um tiro de bala de prata em seu coração seria capaz de matá-lo.
Mãe-D'água
Encontramos na mitologia universal um personagem muito parecido com a mãe-d'água : a sereia. Este personagem tem o corpo metade de mulher e metade de peixe. Com seu canto atraente, consegue encantar os homens e levá-los para o fundo das águas.
Corpo-seco
É uma espécie de assombração que fica assustando as pessoas nas estradas. Em vida, era um homem que foi muito malvado e só pensava em fazer coisas ruins, chegando a prejudicar e maltratar a própria mãe. Após sua morte, foi rejeitado pela terra e teve que viver como uma alma penada.
Pisadeira
É uma velha de chinelos que aparece nas madrugadas para pisar na barriga das pessoas, provocando a falta de ar. Dizem que costuma aparecer quando as pessoas vão dormir de estômago muito cheio.
Mula-sem-cabeça
Surgido na região interior, conta que uma mulher teve um romance com um padre. Como castigo, em todas as noites de quinta para sexta-feira é transformada num animal quadrúpede que galopa e salta sem parar, enquanto solta fogo pelas narinas.
Mãe-de-ouro
Representada por uma bola de fogo que indica os locais onde se encontra jazidas de ouro. Também aparece em alguns mitos como sendo uma mulher luminosa que voa pelos ares. Em alguns locais do Brasil, toma a forma de uma mulher bonita que habita cavernas e após atrair homens casados, os faz largar suas famílias.
Saci-Pererê
O saci-pererê é representado por um menino negro que tem apenas uma perna. Sempre com seu cachimbo e com um gorro vermelho que lhe dá poderes mágicos. Vive aprontando travessuras e se diverte muito com isso. Adora espantar cavalos, queimar comida e acordar pessoas com gargalhadas.

Curiosidades:
- Em 2005, foi criado do Dia do Saci, que deve ser comemorado em 31 de outubro. Festas folclóricas ocorrem nesta data em homenagem a este personagem. A data, recém criada, concorre com a forte influência norte-americana em nossa cultura, representada pela festa do Halloween - Dia das Bruxas.
- Muitas festas populares, que ocorrem no mês de Agosto, possuem temas folclóricos como destaque e também fazem parte da cultura popular.

Folclore Nacional: riqueza e diversificação cultural
Em cada região do Brasil podemos encontrar diversos contos, lendas e personagens que estão estritamente relacionados com a cultura popular, principalmente, das áreas mais interioranas. Esse folclore é fruto, principalmente, da cultura oral e foi passando de geração para geração com o passar dos anos.
 - Com relação às festas tradicionais da região Centro-Oeste, podemos destacar: carvalhada, festas juninas e touradas. As danças folclóricas mais conhecidas são: congada, folia de reis, tapiocas, cururu e tambor.
- As festas e danças típicas da região Norte são: Carimbó, Ciranda, Boi-Bumbá e Marujada. 
- O folclore da região Sul possui possuí uma interessante miscigenação de elementos culturais indígenas, africanos e europeus (principalmente portugueses, alemães e italianos). As danças são muito importantes no folclore da região. Podemos citar como exemplos de danças folclóricas do sul do país: chula, baião, congada, cateretê, pau de fitas, marujada, chimarrita e jardineira
- Na região Sudeste, podemos destacar várias lendas e contos folclóricos. Estes contos estão ligados à cultura da região e servem como elementos de entretenimento ou de divulgação da sabedoria popular. As lendas que mais se destacam na região são: Saci-pererê, curupira, boitatá e mãe-de-ouro. Com relação às danças folclóricas do Sudeste, podemos destacar: Batuque, Catira (Cateretê), Cana-verde, Caxambu, Jongo, Quadrilha e Fandango.
- Muito rico e diversificado, o folclore nordestino é um dos mais importantes aspectos culturais da região. Nos contos e lendas, são transmitidos valores, crenças, comportamentos e elementos imaginários do povo nordestino.
- A Ciranda, dança folclórica cantada é muito comum no Nordeste, principalmente em Pernambuco. Nestas cirandas participam crianças e também adultos.
- Bumba-meu-boi: surgiu no Nordeste e espalhou-se para a região norte do país. Com muita música, dança e brincadeira, é um dos mais representativos espetáculos do folclore nordestino. O evento gira em torno de uma carcaça de boi decorada, conduzida por um homem, que faz coreografias que são seguidas pelos outros participantes. Não podemos deixar de destacar também a importância do frevo e do maracatu.
O calendário nacional está repleto de festas e tradições folclóricas. Muitas vezes, uma mesma manifestação adquire características próprias conforme a região onde seja realizada, mas as variações também fazem parte da expressão da cultura e da história popular.




Fontes: Sua Pesquisa.com e Wikipédia


segunda-feira, 20 de agosto de 2012

A busca pela perfeição e juventude eterna

Adorei a frase dita por Ana Maria Braga na abertura do programa de hoje, segunda-feira 20 de agosto. Dizia o seguinte: "Não ame alguém pela sua beleza, mas pela beleza que essa pessoa possa trazer para o seu mundo". Magnífico, não acham?
Essa frase me fez refletir sobre as pessoas que só se interessam pelas aparências... tanto as delas quanto a dos outros.
Não quero dizer que a aparência não seja importante, mas só ela não é garantia de nada, inclusive pode até gerar preconceitos e sofrimentos desnecessários àqueles que a valorizam sem reflexão.
Quantas pessoas cultuam a aparência física e se esquecem do "conteúdo". As academias estão cheias de garotões "sarados" e de cabeças vazias, de mulheres lindíssimas que nunca estão satisfeitas com a própria aparência. A grande maioria recorre às lipos, às próteses de silicones e ao botóx, mesmo sem necessidade aparente. Algumas delas aos 20 anos já estão colocando o dito cujo para "acabar com as rugas". Mas será que alguém tem rugas aos 20 anos?
Certa vez, no consultório do meu angiologista pude constatar que algumas jovens estavam lá para fazerem aplicação do botóx. Ao comentar com o médico, ele me disse que fazia o "procedimento", e que era muito procurado por pessoas cada vez mais jovens. E ele me perguntou: e você não tem vontade de fazer? E então eu respondí: não! estou feliz como estou... Eu me cuido, mas não quero aparentar uma idade que eu não tenho... Ele ficou até surpreso com a minha resposta, e disse: você faz parte de uma minoria. Grande parte das pessoas estão insatisfeitas com a aparência e fariam "qualquer coisa" para se sentirem "melhores" e mais bonitas. Saí do consultório pensando se isso não refletia um "vazio interior", que precisava ser preenchido de alguma forma.
Sabemos da influência que a mídia exerce sobre a grande maioria das pessoas quanto ao culto exagerado à aparência e à beleza física. Sem falar de outras influências que no momento não vêm ao caso. Ao criar o protótipo da beleza e ao exaltá-lo, muitas vezes de forma subliminar, vem transformando uma massa de escravos numa busca desenfreada e incessante pelo corpo perfeito e eternamente jovem. Incessantemente a grande maioria de pessoas procura por novos "recursos", que prometem verdadeiros milagres na aparência, que os tornarão mais jovens e mais belos. Tanto que a industria dos cosméticos estão cada vez mais em alta, faturando cada vez mais.
Devemos lembrar que essa ditadura aprisiona, principalmente as mulheres que "sofrem" quando ao mirarem o espelho enxergam que os anos estão passando e que ele deixa suas marcas, nós queiramos ou não. As que fazem parte da minoria que podem se dar "ao luxo" de viver em função da beleza não deixam também de sofrer porque nunca estão realmente satisfeitas com os resultados.
Porém, a análise não deve ficar somente nestes aspectos, faz-se necessária uma reflexão mais profunda e criteriosa, a responsabilidade não é apenas dos fatores externos a nós, pois a mídia mostra e a indústria da beleza produz, justamente aquilo que queremos que se torne realidade, desde coisas mais elaboradas como uma técnica cirúrgica inovadora ou um cosmético de última geração, até um soutien que promete elevar ou aumentar o tamanho dos seios. Torna-se um círculo vicioso, os valores do ser contemporâneo e seus anseios refletem-se na mídia e na indústria da beleza e estas, por sua vez, acabam retornando em forma de influência para a sociedade. Vale lembrar também, que os nossos modelos de beleza, bem como todo ser humano tem suas inseguranças e podem estar tentando atingir o ápice, a beleza máxima, afinal, também são agentes na sociedade, não somente figuras estáticas mostrando sua beleza para quem quiser ver. Um dia, se a sociedade se tornar mais espiritualizada e mais voltada ao seu interior, quem sabe a mídia pode refletir outras coisas, como por exemplo, a tão falada frase que: "Ser é mais importante que ter", e que a solidariedade, o amor a si e ao próximo, a paz no mundo e também a de espírito são muito mais importantes e perenes. Coisas que, por mais que tentemos na busca utópica pela perfeição do corpo, jamais serão atingidas.
Vale também lembrar que a verdadeira fonte da juventude está na alma, já que ela nunca envelhece. A juventude da alma ninguém tem o poder de tirar de você, esta sim é ETERNA... Basta querer!


sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Quiche Lorraine

O quiche lorraine é uma delícia da cozinha francesa que caiu no gosto dos brasileiros. Isso é fácil de entender, já que se trata de uma receita fácil de fazer, pode ser servida nas refeições, mas  nada impede que também sirva de lanche. A receita a seguir não apresenta ficuldades, mesmo para as principiantes na arte de cozinhar. Experimente!
   
Ingredientes
Para a massa
1/2 xícara (chá) de farinha de trigo
1 pitada de sal
1 pitada de açúcar
100 g de manteiga em cubinhos gelada
1 ovo


Para o recheio

250 g de bacon em fatias
3 ovos
500 ml de creme de leite fresco
Sal, pimenta-do-reino, noz-moscada ralada a gosto
100 g de queijo tipo parmesão ralado
2 xícaras (chá) de queijo prato ralado (200g)

Modo de preparo

Misture 1 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo com 1 pitada de sal e 1 pitada de açúcar. Junte 100 g de manteiga em cubinhos gelada até formar uma farofa grossa. Acrescente 1 ovo, sove a massa até que forme uma bola e não grude nas mãos.
Embrulhe em papel filme e coloque na geladeira por 15 min.
Retire a massa da geladeira. Coloque a massa dentro de um saco plástico e abra com um rolo. Forre o fundo e a lateral de uma forma de aro removível de 22 cm de diâmetro, com papel-manteiga, e cubra com feijões.
Leve ao forno médio pré-aquecido (180ºC) por cerca de 25 min.
Retire os feijões e deixe esfriar.

Modo de fazer o recheio

Doure 250 g de bacon em fatias no microondas ou numa frigideira.
Seque em papel absorvente e pique grosseiramente. Reserve.
Bata 3 ovos e adicione 500 ml de creme de leite fresco, tempere com sal, pimenta-do-reino e noz-moscada ralada a gosto. Acrescente 100 g de queijo parmesão ralado, 2 xícaras (chá) de queijo prato ralado e as fatias de bacon. Misture bem.

Para a montagem
Cubra a massa com o recheio e asse em forno médio pré-aquecido (180ºC) por 40 min. Sirva com salada verde.

Curiosidades:
O quiche lorraine é uma torta clássica da cozinha francesa inspirada no bolo alemão denominado "kuchen". A influência alemã nesta torta é devida à proximidade da região da alsácia-lorena e na massa, que era feita pelos alemães e que eles denominavam de "chen".
A origem da quiche lorraine data do século XVI, na cidade de Lorraine, na França.
O nome "quiche" ficou para todas as tortas doces e salgadas feitas no formato da quiche lorraine e com a massa "podre" ou esfarelada que, na gastronomia francesa, recebe o nome de "pâte brisée" quando salgada e "patê sucrée" quando doce.

17 de Agosto Dia do Patrimônio Histórico

Patrimônio Histórico pode ser definido como um bem material, natural ou imóvel que possui significado e importância artística, cultural, religiosa, documental ou estética para a sociedade. Estes patrimônios foram construídos ou produzidos pelas sociedades passadas, por isso representam uma importante fonte de pesquisa e preservação cultural. A preservação destes patrimônios é de grande importância para a humanidade, pois eles contam a história de uma época. Além de constituir a memória viva de um povo.
Há uma preocupação mundial em preservar os patrimônios históricos da humanidade, através de leis de proteção e restaurações que possibilitam a manutenção das características originais. No Brasil, existe o IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). Este órgão atua, no Brasil, na gestão, proteção e preservação do patrimônio histórico e artístico no Brasil.
Quando um imóvel é tombado por algum órgão do patrimônio histórico, ele não pode ser demolido, nem mesmo reformado. Pode apenas passar por processo de restauração, seguindo normas específicas, para preservar as características originais da época em que foi construído.
Mundialmente, a UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Cultura, Ciência e Educação) é o órgão responsável pela definição de regras e proteção do patrimônio histórico e cultural da humanidade.
Mesmo aqueles que nunca viajaram conhecem através de relatos, fotos, já viram na Tv ou no cinema alguns dos mais importantes patrimônios históricos da humanidade, espalhados pelo mundo, como: as Pirâmides de Gizé (Egito), Machu Picchu (Peru), Estátua da Liberdade (Estados Unidos), Muralha da China (China), Torre de Piza (Itália), Coliseu de Roma (Itália), Palácio de Versalhes (França), Torre Eiffel (França) e Acrópole de Atenas (Grécia).
Aquí no Brasil, também temos muitos patrimônios históricos, entre eles temos: a Cidade Histórica de Ouro Preto (Minas Gerais), o Centro Histórico de Olinda (Pernambuco), o Pelourinho, a Estação da Luz (São Paulo), as Ruínas de São Miguel das Missões (Rio Grande do Sul), o Cristo Redentor (Rio de Janeiro), o Conjunto Urbanístico de Brasília, o Palácio do Catetinho (Brasília). Recentemente a cidade do Rio de Janeiro conquistou o título de patrimônio mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). A candidatura teve como objetivo reunir esforços internacionais na luta pela preservação da cultura e das riquezas naturais de uma área que inclui os principais pontos turísticos cariocas.
É um orgulho para nós brasileiros ter aqui no nosso país tanta beleza natural e arquitetônica, que tem chamado a atenção da UNESCO. Só nos resta também cuidar destes patrimônios como verdadeiros tesouros que eles representam.
 
Entre as belezas naturais que fazem parte do patrimônio histórico da humanidade, as Cataratas do Iguaçú são um dos principais pontos turísticos do Brasil, visitados anualmente por milhões de turistas brasileiros e estrangeiros.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

O valor de nossos pais ...


Nos dias de hoje, a maioria dos jovens têm de tudo, muitas vezes sem se darem conta do quanto seus pais lutaram para obterem sucesso profissional e o conforto para a família. Principalmente os jovens que nasceram em lares mais afortunados, são poupados das dificuldades apresentadas pela vida, e seguem adiante acreditando que o mundo sempre lhes dará tudo o que quiserem sem que façam nenhum esforço.  Afinal, quando eles nasceram já estava tudo lá, à espera deles. Em algumas ocasiões bastava um pedido para que logo fosse realizado o seu desejo... Segundo Içami Tiba, "Estamos soltando para a sociedade pessoas sem preparo. Os pais podem preparar seus filhos. Para isso, precisam se dedicar a serem educadores. Só o fato de terem filhos não os qualifica a serem educadores" . Ele conclui.

O valor de nossos pais ...
Um dos mais bonitos textos sobre educação familiar que já li. Leitura obrigatória para nós pais e, principalmente, para os filhos.

Um jovem de nível acadêmico excelente, candidatou-se à posição de  gerente de uma grande empresa. Passou a primeira entrevista e o diretor fez a última, tomando a última decisão.
O diretor descobriu, através do currículo, que as suas realizações acadêmicas eram excelentes em todo o percurso, desde o secundário até  à pesquisa da pós-graduação e não havia um ano em que não tivesse pontuado com nota máxima.
O diretor perguntou, "Tiveste alguma bolsa na escola?" - O jovem respondeu, "nenhuma".
O diretor perguntou, "Foi seu pai quem pagou as suas mensalidades ?" o  jovem respondeu, "O meu pai faleceu quando eu tinha apenas um ano, foi a minha mãe quem pagou as minhas mensalidades."
O diretor perguntou, "Onde trabalha a sua mãe?" - e o jovem respondeu: "A minha mãe lava roupa."
O diretor pediu que o jovem lhe mostrasse as suas mãos. O jovem  mostrou um par de mãos macias e perfeitas.
O diretor perguntou, "Alguma vez ajudou sua mãe lavar as roupas?" - o  jovem respondeu: "Nunca, a minha mãe sempre quis que eu estudasse e lesse mais livros. Além disso, a minha mãe lava a roupa mais depressa do que eu."
O diretor disse, "Eu tenho um pedido. Hoje, quando voltar, vá e limpe as mãos da sua mãe e depois venha ver-me amanhã de manhã."
O jovem sentiu que a hipótese de obter o emprego era alta. Quando chegou à casa, pediu, feliz, à mãe que o deixasse limpar as suas mãos. A mãe achou estranho, estava feliz, mas com um misto de  sentimentos e mostrou as suas mãos ao filho.
O jovem limpou lentamente as mãos da mãe. Uma lágrima escorreu-lhe enquanto o fazia. Era a primeira vez que reparava que as mãos da mãe estavam muito enrugadas e havia demasiadas contusões em suas mãos. Algumas eram tão dolorosas que a mãe se queixava quando limpava com  água. Esta era a primeira vez que o jovem percebia que este par de mãos que lavavam roupa todo o dia tinham-lhe pago as mensalidades. As contusões nas mãos da mãe eram o preço a pagar pela sua graduação, excelência acadêmica e o seu futuro. Após acabar de limpar as mãos da mãe, o jovem silenciosamente lavou as restantes roupas pela sua mãe.
Nessa noite, mãe e filho falaram por um longo tempo.
Na manhã seguinte, o jovem foi ao gabinete do diretor.
O diretor percebeu as lágrimas nos olhos do jovem e perguntou, "Diz-me, o que fez e que aprendeu ontem em sua casa?" - O jovem respondeu, "Eu limpei as mãos da minha mãe e ainda acabei de  lavar as roupas que sobraram."
O diretor pediu, "Por favor, diz-me o que sentiu."
O jovem disse "Primeiro, agora sei o que é dar valor. Sem a minha mãe, não haveria um eu com sucesso hoje. Segundo, ao trabalhar e ajudar a minha mãe, só agora percebi a dificuldade e dureza que é ter algo pronto. Em terceiro, agora aprecio a importância e valor de uma relação familiar."
O diretor disse, "Isto é o que eu procuro para um gerente. Eu quero recrutar alguém que saiba apreciar a ajuda dos outros, uma pessoa que conheça o sofrimento dos outros para terem as coisas feitas e uma pessoa que não coloque o dinheiro como o seu único objetivo na vida.
Está contratado."
Mais tarde, este jovem trabalhou arduamente e recebeu o respeito dos seus subordinados. Todos os empregados trabalhavam diligentemente e como equipe. O desempenho da empresa melhorou tremendamente.
Uma criança que foi protegida e teve habitualmente tudo o que quis se desenvolverá mentalmente e sempre se colocará em primeiro. Ignorará os esforços dos seus pais e quando começar a trabalhar, assumirá que todas as pessoas o devem ouvir e quando se tornar gerente, nunca saberá o sofrimento dos seus empregados e sempre culpará os outros.
Para este tipo de pessoas, que podem ser boas academicamente, podem ser bem sucedidas por um tempo, mas eventualmente não sentirão a sensação de objetivo atingido. Irão resmungar, estarão cheios de ódio e lutarão por mais.
Se somos esse tipo de pais, estamos realmente a mostrar amor ou estamos a destruir o nosso filho?
Pode-se deixar seu filho viver numa grande casa, comer boas refeições, aprender piano e ver televisão num grande TV em plasma. Mas quando cortar a grama, por favor, deixe-o experienciar isso. Depois da refeição, deixe-o lavar o seu prato juntamente com os seus irmãos e irmãs. Deixe-o guardar seus brinquedos e arrumar sua própria cama.
Isto não é porque não tem dinheiro para contratar uma empregada, mas porque amar é ensinar como deve de ser. Quer que ele entenda que não interessa o quão ricos os seus pais são, pois um dia ele irá  envelhecer, tal como a mãe daquele jovem. A coisa mais importante que os seus filhos devem entender é, apreciar o esforço e a experiência da  dificuldade, a aprendizagem da habilidade de trabalhar com os outros para fazer as coisas.

Quais são as pessoas que ficaram com mãos enrugadas por mim?


Mãe perfeita ou a mãe possível?

Muitos livros têm sido escritos sobre como criar bem os filhos. Entre eles foi lançado mais um com o título de: MAES CONFIANTES FILHOS REALIZADOS - THOMAS NELSON, da escritora Catherine Hickem. Neste livro, a autora apresenta 7 princípios para conseguir um relacionamento saudável com os filhos e pôr em prática uma criação realmente eficaz, na qual as crianças possam construir a saúde emocional para se transformarem em adultos confiantes, equilibrados e seguros.
Acredito que todos achem que basta ser mulher para estarmos preparadas para ser mães, pois o "instinto maternal" fará todo o resto. Isso não passa de uma utopia, já que ser mãe se aprende na prática, sem que tenhamos feito nenhum curso ou preparação para tal função.
Escutamos desde pequenas a expressão: "mãe que é mãe...".   Expressão que abrange uma lista imensa de exigências que sempre definiram a função materna: amor incondicional, dedicação plena, disponibilidade ilimitada, entre outras. Ou seja, referia-se ao que ela tinha que atender e não a quem ela era. A impressão que temos é de que a mulher, ao se tornar mãe, torna-se esquecida como pessoa e só passa a valer o que ela deve ser capaz de fazer. Como se a pessoa desaparecesse e só passasse a existir a mãe. Porém, antes de ser mãe, todas somos pessoas...
Porém sabemos que não é bem assim, apesar do "instinto maternal" que toma conta de nós mulheres desde o momento em que sabemos que estamos gerando uma vida dentro de nós, não nascemos prontas para sermos mães. Somos construídas a partir do modelo dado pela nossa mãe, pelas normas e regras do momento em que vivemos quando nos tornamos mães, pelos valores herdados da nossa família, pelas recomendações do pediatra e também, é claro, pelas amigas e amigas das amigas que vão dando sugestões, opiniões, conselhos, etc.
Se pensarmos que cada uma de nós aprendeu a ser mãe a partir de vivências muito diferentes – cada mãe veio de um contexto familiar único, portanto recebeu modelos e valores de acordo com a sua família de origem – concluímos que deverão existir diversos modos de ser mãe. Vamos "aprendendo" a lidar com cada fase que se apresenta tentando manter a insegurança sob controle. E quando achamos que aprendemos, vem uma nova fase que nos causa inquietação, já que tudo é novo outra vez. Tomo como exemplo a fase em que o filho vai à escola pela primeira vez. Ficamos ansiosas quanto a adaptação dele ao novo mundo que vai enfrentar, queremos estar presentes, como se fosse possível controlar tudo. 
As crianças se saem muito bem no meio dos amiguinhos, mas a qualquer sinal vamos correndo para socorrê-los se preciso for. E os desafios não acabam assim tão fácil. Quem tem vários filhos sabe que cada um é diferente do outro, as personalidades são muitas vezes opostas e as brigas entre eles também são inevitáveis, além do ciúme entre irmãos. A mãe tem que ser mediadora dos atritos e não "deve" tomar partido.
Chega a fase mais difícil para a grande maioria, a adolescência, quando os filhos preferem estar com os amigos do que com os pais. Querem sair e conhecer o mundo. Não veem os "perigos" que as mães tanto falam. Por serem jovens e inexperientes, acham que todos são amigos, querem viver tudo o que puderem o mais rápido possível... 
É nesse momento que nos damos conta de que não somos onipresentes, nem temos superpoderes. É preciso confiarmos no que ensinamos a eles anteriormente, nos valores que lhes foram passados. Devemos lembrar que a tarefa de educar mal começou, pois ainda que eles já se considerem "quase adultos", não passam de crianças crescidas precisando muito da nossa orientação. E o mais importante, não precisam de "sermões", mas sim de diálogo, aliás, haja diálogo, e muita atenção. É preciso que eles saibam que podem confiar nos pais e que possam se abrirem sempre que precisarem, pois nesse momento todo o apoio é fundamental para que eles possam se tornarem aptos a viverem a experiência de crescerem.
Outro dia escutei a Fátima Bernardes falar sobre como se sente sendo mãe de três adolescentes. Ela concluiu dizendo: sinto-me meio abandonada na minha função de mãe, já que eles preferem sair com os amigos do que conosco, os pais. Essa é a realidade mais difícil para nós mães que queremos detê-los junto a nós o maior tempo possível, e gostariamos até que eles nunca crescessem.

O fato é que uma mulher que avalia o mundo atual como muito perigoso, pode querer proteger o seu filho de forma excessiva, construindo ao redor dele uma redoma dificultando o seu desenvolvimento emocional. Por outro lado, uma que defende a idéia de que quanto mais cedo o filho aprender a se virar sozinho melhor se sairá no mundo, pode não avaliar se este filho está realmente pronto para o "se virar" e assim fazer com que ele se sinta desamparado. Outras, que defendem a idéia de que o filho é para o mundo e assim permitem que toda a formação dele seja dada pela sociedade, podem estar esquecendo de que na infância, os pais têm a função de passar os primeiros valores e a conduta moral.
Penso que cada mulher, ao se tornar mãe, tentará sempre fazer o "melhor possível", buscará auxílio, esclarecimentos e orientações para dedicar aos seus filhos o melhor de si. Este processo nos causa angústia, pois não existe um jeito só, um modelo único a ser seguido. Como dizem por aí...."filho não vem com manual!"
Não podemos esquecer que a criação "educar e cuidar" é um projeto a longo prazo. Neste caminho erros e acertos acontecem. O importante é estarmos sempre atentas, não perder de vista o objetivo final, que no meu entender se resume em deixar como nosso legado filhos capazes de conquistar seu espaço no mundo de forma tranqüila, segura e solidária.

Toda mãe se propõe a ser a mãe perfeita, porém este termo "perfeito" se refere a um ideal, aquilo que todas nós buscamos. Lembrem-se, não existe o filho ideal... existe o filho que temos. Logo, concluímos que não existe a mãe perfeita, mas a mãe que podemos ser. As mães fazem o possível e dentro deste possível, erros são cometidos – afinal, errar é humano – o problema é que estes erros nossos filhos carregarão como legado/herança. E as cobranças serão inevitáveis e as comparações também...